Santo Augusto Urgente! Anuncie onde seu cliente também vê!   I    Força-tarefa que busca Lázaro prende jovem suspeito de se passar por policial, em Cocalzinho de Goiás   I    Brigada Militar e Receita Federal apreendem produtos de descaminho em Três Passos   I    Acidente é registrado na ERS-330 em Miraguaí   I    Força-tarefa começa 11ª dia de buscas a Lázaro Barbosa com movimentação intensa na região de Águas Lindas de Goiás   I    Policiais ficam feridos em capotamento de viatura na BR-285
23 de dezembro de 2020

Secretaria da Agricultura divulga novo relatório de monitoramento de gafanhotos na Região Celeiro

A Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (SEAPDR) permanece monitorando ocorrências de gafanhotos no Rio Grande do Sul e divulgou, nesta segunda-feira (21), mais um relatório. Diversos relatos de ocorrências dos insetos têm sido recebidos pelo Departamento de Defesa Agropecuária da SEAPDR. Os fiscais estaduais agropecuários realizam diligências nas ocorrências e concentram o monitoramento na área de maior verificação do surto, na divisa entre os municípios de Santo Augusto, São Valério do Sul e arredores.

Contudo, segundo o chefe da Divisão de Defesa Sanitária Vegetal da Seapdr, Ricardo Felicetti, diversas informações de “avistamentos” de gafanhotos estão sendo recebidas. “Em geral a espécie predominante das ocorrências é Chromacris speciosa, o gafanhoto-soldado, de coloração preta com manchas vermelhas quando jovem, evoluindo para verde camuflado quando adulto”.

Felicetti conta que outras espécies do gênero Sinipta, de ocorrência em pastos naturais, e do gênero Zoniopoda também foram observadas. Conforme ele, essas espécies alimentam-se de vegetação nativa e plantas espontâneas e daninhas, com baixo risco de danos à produção agrícola.

“A SEAPDR esclarece que estas espécies são nativas, de ocorrência comum no RS e não estão manifestando comportamento de praga agrícola, com ocorrências sem danos às plantas cultivadas e lavouras comerciais”, afirma Felicetti. A orientação inclusive é de não realizar o controle, tendo em vista que estas espécies desempenham função ecológica no meio ambiente e eventuais supressões possibilitariam desequilíbrio local e efeitos adversos ao meio ambiente e na contenção de pragas agrícolas proporcionada pelo mesmo.

“Havendo observação de ocorrências com expressivas populações com danos às lavouras e plantas cultivadas, deve-se providenciar a comunicação imediata à SEAPDR”, alerta o engenheiro agrônomo.

 

Fonte: SEAPDR

Notícias Relacionadas

  • Acidente deixou seis pessoas ferida...

    18 de junho de 2021
  • Prefeitura de Venâncio Aires confir...

    15 de junho de 2021
  • Morre Afrânio Bertaluci, ex-vereado...

    14 de junho de 2021
  • PM mata quatro pessoas durante brig...

    14 de junho de 2021

NOTÍCIAS

PUBLICIDADES

PUBLICIDADES



NOTÍCIAS NO SEU E-MAIL

Cadastre-se para receber.

    Entre em contato conosco



      (55) 9 84034561 / (55) 9 96195305 Santo Augusto/RS / CEP: 98590-00
      Copyright 2017 ® Santo Augusto Urgente - Todos os direitos reservados