Santo Augusto Urgente! Anuncie onde seu cliente também vê!   I    Cetrat: Liberada lista de mortos no incêndio em Carazinho   I    Diretora é investigada por morder aluno de 4 anos em Tenente Portela   I    Incêndio em centro de tratamento deixa 11 mortos em Carazinho   I    PRF prende traficante com mais de 1 tonelada de maconha escondida em caminhão frigorífico   I    Preso por estupro de enteada, homem é indiciado pelo mesmo crime contra irmão da vítima
19 de novembro de 2019

PF cumpre mais de 50 mandados em operação contra crimes motivados por disputa de terra indígena no RS

A Polícia Federal realiza uma operação na manhã desta terça-feira (19) contra crimes que ocorreram na Reserva do Guarita, que fica entre os municípios de Redentora e Tenente Portela, na Região Noroeste do Rio Grande do Sul.

Segundo a PF, os crimes foram motivados pela disputa da liderança da terra indígena. Estão sendo cumpridos 38 mandados de busca e apreensão e 14 de prisão preventiva.

A PF instaurou inquéritos para apurar diversos crimes que ocorreram no último mês no local. Em 19 de outubro, o cacique da reserva sofreu um atentado e sua casa foi incendiada.

A polícia investiga ainda a morte de um indígena e a tentativa de homicídio de outros dois, no dia 7 de novembro, na mesma região.

Os crimes investigados são homicídio qualificado, tentativa de homicídio qualificado, incêndio majorado, dano qualificado e formação de milícia armada.

Há três semanas, o Ministério Público Federal (MPF) encaminhou um pedido de intervenção federal à Presidência da República para tentar garantir a segurança dos integrantes da reserva indígena do Guarita.

Às 10h30, a PF realizará uma coletiva em Santo Ângelo para fornecer mais informações sobre a operação.

Segundo PF, crimes foram motivados por disputa pela liderança das terras indígenas — Foto: Divulgação/PF

Segundo PF, crimes foram motivados por disputa pela liderança das terras indígenas — Foto: Divulgação/PF

Tentativa de homicídio contra líder indígena

No dia 19 de outubro, a casa do cacique, Carlinhos Alfaiate, foi alvo de um incêndio e de ataque a tiros. Ao G1, Edmilson Alfaiate, filho do líder indígena, falou sobre o susto.

“Eles chegaram atirando com arma de fogo. O alvo deles era matar o cacique, eu acho, pela quantia de armas que tinham. Cacique fugiu para o mato. Então, duas pessoas entraram na casa, derramaram gasolina e colocaram fogo”, relata Edmilson.

Segundo ele, a mãe saiu da casa e não se feriu. “Perderam tudo. Ficaram só com a roupa do corpo”, conta.

Edmilson disse que os pais ficaram bastante abalados com tudo o que aconteceu.

“Deixa um trauma muito grande, ser perseguido dessa forma. Essas pessoas não pensam nas famílias que podem sofrer com isso. [A mãe] disse que quando dorme, ainda escuta aqueles tiros, parece que está vendo eles fazerem isso na casa”, afirma.

Casa do cacique foi incendiada  — Foto: Arquivo pessoal

Casa do cacique foi incendiada — Foto: Arquivo pessoal

Fonte: G1/RS

Notícias Relacionadas

  • VÍDEO – Casa é consumida pelo...

    26 de junho de 2022
  • Cetrat: Liberada lista de mortos no...

    24 de junho de 2022
  • Diretora é investigada por morder a...

    24 de junho de 2022
  • Incêndio em centro de tratamento de...

    24 de junho de 2022

NOTÍCIAS

PUBLICIDADES

PUBLICIDADES



NOTÍCIAS NO SEU E-MAIL

Cadastre-se para receber.

    Entre em contato conosco



      (55) 9 84034561 / (55) 9 96195305 Santo Augusto/RS / CEP: 98590-00
      Copyright 2017 ® Santo Augusto Urgente - Todos os direitos reservados