Santo Augusto Urgente! Anuncie onde seu cliente também vê!   I    Acidente tipo saída de pista ocorre na ERS 155 em Santo Augusto   I    WhatsApp vai deixar você esconder que está ‘online’; veja como fazer   I    Mecânico é morto a tiros em Ilópolis; suspeitos são presos   I    Saída de pista é registrada na BR-468   I    Jô Soares morre em São Paulo aos 84 anos
12 de dezembro de 2018

Julgamento do Caso Bernardo será dia 11 de março de 2019

Os quatro réus do processo que apura a morte do menino Bernardo Boldrini, ocorrida em abril de 2014, serão julgados em 11 de março de 2019. A data foi definida nesta terça-feira (11) pela juíza do caso, Sucilene Engler Werle, titular da 1ª Vara Judicial de Três Passos. O júri ocorrerá quase cinco anos depois do assassinato da criança.

A sessão que julgará Leandro Boldrini (pai), Graciele Ugulini (madrasta), Evandro Wirganovicz e Edelvânia Wirganovicz (irmãos acusados de participar do crime) começará às 9h30min e será realizada no salão do júri da Comarca de Três Passos.

Em junho, Sucilene havia solicitado que o júri fosse transferido para Porto Alegre. Na época, ela alegou que a mudança era necessária para garantir a ordem pública, a imparcialidade do julgamento e a segurança dos acusados. O pedido, no entanto, foi negado Tribunal de Justiça, que manteve o julgamento em Três Passos.

Serão ouvidas 28 testemunhas e interrogados os quatro réus. A previsão é de que o julgamento dure até sete dias. Na decisão desta terça-feira, a magistrada manteve o acesso da imprensa ao julgamento. Sucilene também atendeu o pedido dos advogados de Boldrini e determinou que não haja comunicação entre as testemunhas durante o julgamento.

Testemunhas

A defesa do pai de Bernardo solicitou que a imprensa não tivesse acesso aos depoimentos das testemunhas, com o objetivo de manter a incomunicabilidade das mesmas. Ao analisar o pedido, a juíza considerou que isso não seria possível, sob pena de ferir a Constituição Federal.

— Assim, se nenhuma lei poderá criar embaraços à liberdade de imprensa, qualquer decisão judicial que restringir tal liberdade estará desamparada de legalidade — ressaltou a juíza.

A magistrada determinou a incomunicabilidade das testemunhas, de forma que elas permaneçam à disposição da Justiça, a contar da data de início do julgamento, até o momento imediatamente posterior às oitivas em plenário.

— Devem as testemunhas comparecer no Foro, na data designada, portando objetos de uso pessoal, roupas e todo o necessário para acomodação em hotéis a serem previamente reservados, lembrando-se que ficarão incomunicáveis até que todas as testemunhas sejam inquiridas — determinou.

Acesso ao julgamento

Segundo o Tribunal de Justiça, o salão do júri da Comarca de Três Passos comportará 70 pessoas, incluindo a imprensa e o público em geral. Senhas serão distribuídas aos interessados em acompanhar o julgamento.

GaúchaZH – Reprodução

Notícias Relacionadas

  • Duas pessoas morrem em acidente env...

    14 de agosto de 2022
  • Acidente tipo saída de pista ocorre...

    9 de agosto de 2022
  • WhatsApp vai deixar você esconder q...

    9 de agosto de 2022
  • Mecânico é morto a tiros em Ilópoli...

    9 de agosto de 2022

NOTÍCIAS

PUBLICIDADES

PUBLICIDADES



NOTÍCIAS NO SEU E-MAIL

Cadastre-se para receber.

    Entre em contato conosco



      (55) 9 84034561 / (55) 9 96195305 Santo Augusto/RS / CEP: 98590-00
      Copyright 2017 ® Santo Augusto Urgente - Todos os direitos reservados